Memórias Paroquiais

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
Início
Pesquisar
Um total de 210 resultado(s) encontrado(s).
Etiqueta: Memória Completa
  • Memórias Paroquiais (210)

Santo António de Capelins, 1758

Memória Paroquial de Santo António de Capelins, Alandroal

[ANTT, Memórias paroquiais, vol. 4, nº 29, p. 157 a 162]

“/p. 157/

Certifico eu o Padre Manuel Ramalho Madeira Cura nesta Parrochial Jgreja de Santo Antonio Termo da Vila de Terena, que he verdade, que eu fis as deligençias nesseçarias, e avarigoaçoins dividas a respeito dos Jnterrogatorios da ordam e feitas estas não achei; que dizer mais que o seguinte.

No primeiro interrogatorio digo, que esta Freguesia está na provinçia do Alentejo, no Arçebispado de Evora, na Comarca da çidade de Elvas, e Termo da Vila de Terena chamaçe esta Freguezia de Santo Antonio de Terena;

No segundo respondo, que he de El Rey meo Senhor;

Ao terçeiro digo que esta Freguezia tem ouitenta e seis vizinhos, duzentas e outenta pessoas, mayores e sincoenta e sete menores;

Ao quarto interrogatorio digo, que esta situada en sitio nam muito alto, nam munto baixo, em lugar plano dela se descobrem algumas povoaçoins que são as seguintes a primeira he a Vila de Terana esta dista huma legoa, tambem se descobre a Villa de Extremos, dista estta sinco legoas, tambem se avista a Vila do Alandroal e esta dista duas legoas tambem se descobre a Vila de Olivença, dista esta sinco legoas descobreçe tambem, a Villa de Monçaras dista esta duas legoas, tambem se descobre a Villa de Mourão aqual dista desta Freguezia quatro legoas, no Rreino de Castela se descobrem tambem duas terras, que vem a ser Cheles, e esta dista legoa e meia a outra chamace Alcunchel, esta dista quatro legoas não há mais que dizer.

No quinto Jnterrogatorio digo que esta Freguezia parte esta no termo de Terena, e a outra parte na Villa de Ferreyra de sorte que esta Villa de Ferreyra ha huma defeza que se acha nesta Freguezia aqual//

/p. 158/

Aqual he Villa e tem Termo, tem Juis Leygo, Variadores, Escrivão, Alcaide, Procurador, e tudo o mais pertencentes as justiças, esta justiça he feita todos os annos pelo Corregedor da Çidade de Elvas, he esta Villa do Serénissimo Senhor Jnfante, tem duas Aldeias chamadas Capelins de Cima, e Capelins de Baxo consta huma de ouito vizinhos, e a outra de seis, a Vila não tem mais de dois moradores, nestta Villa não entra outra qualquer justiça a governar nada mais.

Ao sexto interrogatorio digo que esta Freguezia está fora do lugar e tem quatro Aldeias, chamadas huma Capelins de Sima, outra Capelins de Baxo, outra Aldeia de Navais, outra Aldeia de Faleiros nada mais.

Ao setimo respondo que o seo Orago he Santo Antonio tem tres Altares hum he o altar mor em que está o Orago Santo Antonio, São Bartolomeu, São Francisco e São Gregorio, o segundo he dos Santos e São Miguel, e São Bento, o terceiro hé da Senhora do Rozario, e São Joseph, Nossa Senhora de Belem, não tem naves he forrada de madeyra, tem seis Jrmandades a primeira he de Santo Antonio, Nossa Senhora do Rozario, Nossa Senhora das Neves, Jrmandade das Moças, a Jrmandade do Senhor Jesus e Jrmandade de São Bento nada mais;

Ao outavo respondo que o Parrocho he cura, e aprezentação he do Reverendo, e Excelentissimo Senhor Arcebispo de Evora, tem quatro moios de renda tres de trigo, e hum de sevada.

Ao nono interrogatorio digo nada.

Ao decimo jnterrogatorio nada.

Ao interrogatorio deçimo primeiro nada;

Ao deçimo segundo nada.

Ao deçimo terçeiro digo que na Vila de Ferreira está huma//

/p. 159/

Está huma Jrmida de Nossa Senhora das Neves e está fora do lugar e nada mais.

Ao deçimo quarto interrogatorio nada;

Ao déçimo quinto digo que os frutos da terra são trigo, sevada, e santejo;

Ao deçimo sesto digo que tem Juis de Ventena sugeito ao juiso da Villa de Terena nada mais;

Ao deçimo setimo nada;

Ao deçimo ouitavo nada.

Ao deçimo nono nada.

Ao duodeçimo nada.

Ao duodeçimo primeiro digo que dista da cidade de Evora capital do Arcebispado sete legoas, e de Lisboa capital do Reino são vinte e sete legoas.

Ao duodeçimo segundo interrogatorio não há que dizer.

Ao duodeçimo terçeiro nada.

Ao duodeçimo quarto nada;

Ao duodeçimo quinto nada.

Ao duodeçimo seisto nada.

Ao duodeçimo setimo nada;

e asim nesta primeira parte não tenho mais que dizer que o referido.

Na segunda parte da ordem se me procura saber da qualidade da Serra, e asim nesta parte não tenho que dizer por não haver Serra, e em todos estes trezes Jnterrogatorios nada, não há duvida que esta Freguesia tem em si creaçoins de bois, ovelhas, cabras e porcos, e tambem algumas criaçoins de lebres, e coelhos como se procura no Jnterrogatorio deçimo primeiro, desta segunda parte, e asim não há mais que dizer.

Respondendo a terçeira parte, em que se pretende saber do rio desta terra chamaçe este o Rio Goadiana dizem nasçe nas manchas de Aragão;

Ao segundo Jnterrogatorio digo que não nasce logo caudelozo, porem ao depois se fas juntas as correntes das lagoas sempre corre mas algums annos secos se paça a pe enxuto por algumas pontes//

/p. 160/

Ao terceiro Jnterrogatorio digo que no sitio desta Freguesia emtrão nella duas rebeiras pequeinas chamaçe huma Luçafeça [sic] e a outra de Asavel, ribeiras que de Verão não correm porem tem seos moinhos de pão.

Ao quarto jnterrogatorio digo que o dito Rio Guadiana no sitio desta Freguezia tem huma barca, que leva trinta cavalgaduras e alguma gente, e asim humas são maiores, e outras são menores, porem tres homens a governão, tem seos pegos detriminados por não ser todo lugares de embarcaçoins tambem tem alguns barquinhos pequenos cujos governa só hum homem levão des, dose pessoas.

Ao quinto Jnterrogatorio he de cursso quieto toda ella exçeto no tempo, das enchentes, e algumas correntes que tem nos asudes em que estão fundados os moinhos.

Ao sesto Jnterrogatorio digo que corre do Nascente, ao Poente;

Ao setimo Jnterrogatorio tambem cria alguns peixes, e chamaçe estes bogas, bordalos, sarrelos, veleiros, barbos, e estes xegão a ter meia arroba.

No outavo Jnterrogatorio, digo que em toda a terra se pesca nella.

Ao nono Jnterrogatorio digo que as pescarias são livres.

Ao deçimo Jnterrogatorio digo, que em todas as duas margens se não cultivão frutos por não serem capazes por quanto tem muita força porem algumas vargens tem em que se semeia trigo, sevada, senteio, milho e alguns meloaes, em partes tem muito arvoredo de azinho, e oliveiras;

Ao decimo primeiro Jnterrogatorio não há que dizer.

Ao deçimo segundo Jnterrogatorio não, há memoria que tão esse outro nome//

/p. 161/

Ao deçimo terceiro Jnterrogatorio dizem morre no mar, e entra nelle em Mertola.

No deçimo quarto Jnterrogatorio digo que tem alguns asudes, e chachapos, que lhe embaração o seo navegavel.

Ao deçimo quinto não há que dizer.

Ao deçimo sesto digo que tem alguns moinhos, e pezoins.

Ao deçimo outavo não há que dizer.

Ao deçimo nono digo que nesta Freguezia tem distançia de legoa e meia, e não passa por povoassão alguma;

Ao duodeçimo, não há que dizer,

e he o que tenho digno de mimoria e de como, isto que tenho dito he o que no limitando desta Freguezia pude averigoar passo o presente que asigno [h]oje Santo Antonio 13 de Junho de 1758.

O Paroco Manoel Ramalho Madeira//”

 

Transcrição: Ofélia Sequeira

Etiquetas: Memória Completa

Nossa Senhora do Rosário, 1758, 26 de Abril

Memória Paroquial de Nossa Senhora do Rosário, Comarca de Avis

[ANTT, Memórias paroquiais vol. 32, nº 160, p. 971 a 973]

“/p. 971/

Rosario termo Alandroal

Freguezia de Nossa Senhora do Rozario, termo da Villa do Alendroal Bizpado de Elvas, Comarca de Avis, Provinsia do Alem Tejo.

He Orago da Jgreja da ditta freguezia, Nossa Senhora do Rozario, cituada em pequena planice da Herdade das Bollas, he de abobeda e de huma só nave.

Em a cappella mayor estâ a ditta Senhora em hum trono emtalhado dourado; em o lado do Evangelho da mesma Cappella a Jmagem de São Vincente Ferrer; e no lado da Epistola a Jmagem de Santa Rita: ambas as Jmage[n]s estofadas de ouro, em pianias douradas.

Tem duas Cappellas colatraes:

Na Cappella do lado do Evangelho estâ huma Jmagem de hum Santo Crucifixo de grande porporsão, e devossam. Na Cappella do lado da Epistola a Jmagem de Nossa Senhora da Conseissam [sic].

No corpo da Jgreja tem duas Cappellas em conrespondensia. Na Cappella da parte do Evangelho estâ a Jmagem de Santo Antonio estofada, de bastante porporsam, e a Cappella pintada a fresco.

Na Cappella da parte da Epistola hum paynel das Almas pintado a fresco.

Proxima porta principal da Jgreja da parte do Evangelho em huma Cappella estâ a Pia batismal.

Tem duas portas, a principal pera o Poente, e a outra pera o Sul.

Em o terremoto do anno de 1755 recebeo a ditta Jgreja em fronte spicio, abobeda,//

/p. 972/

abobeda, e sanchristia bastante ruina, que ainda senam reparou, por se esperar provizaõ da Menza da Consiensia pera nova finta; por quanto os Senhorios das Fazendas, e moradores da ditta freguezia, por pettissam, que fizeram a El Rey Nosso Senhor, como Governador e perpetuó Administrador da Cavalaria, Mestrado, e Ordem de São Bento de Avis, pelo seo Tribunal da Menza da Consiensia, se obrigaram á eressam, e reedificassam da ditta Jgreja.

Em a defeza da Granja, que he dos Religiozos de São Bento da Saude da Cidade de Lisboa estâ huma Cappella de São Bento primurozamente ornada.

Em as Herdades de Santa Luzia, que sam de Thome Jose de Sousa de Villa Viçoza esta huma Cappella de Santa Luzia, em cujo dia os devottos concorrem com sua festa.

O parocho da ditta Jgreja he nella provido por oppozissam [sic] na Menza da Consiensia, por ser da ditta Ordem de São Bento de Avis, e nella collado, tem de Congrua em cada hum anno tres moyos de trigo, e dous moyos de cevada pagos pelas Herdades.

As Herdades da ditta freguezia saó: quarenta, e tres fogos secenta e hum[a] pessoas pelo Rol dos Confessados = duzentas, setenta, e outo.

Os frutos, que os moradores della recolhem sam, trigo, centeyo, e cevada: os maes fruttos que produs sam Bolotta e Alande.

Em alguns sitios há alguns porcos montezes, veados e cervas, e nella se conservam por ser montuosa.//

/p. 973/

Tem a ditta freguezia de comprimento duas legoas, principia da parte do Norte, em as herdades de Alcalas Ribeiro, que tem seo nascimento proximo a ditta Villa do Alendroal, entrando pela parte do poente em a Ribeira de Lucemfecit [sic], correndo da parte do Norte para o Sul, cercando a freguezia the entrar em Guadiana na Herdade do Aguilham, em que finda a ditta freguezia: tem a ditta Ribeira seos pexes = Picóes, Bordallos, e Pardelhas, cujas pescarias sam livres, corre a mayor parte do anno.

Tem de largura a ditta freguezia quase legoa e mea, do mensionado Lucemfecit [sic], the á Herdade de Previssos, proxima à freguezia de São Bras dos Mattos, termo da Villa de Juroumenha, donde pela parte do Nascente a serca o selebrado Rio Guadiana fertelissimo de pexes como saó = Heiros, Escarpeos, Tencas, e Barbos, e os maes pexes meudos, cujas pescarias saó livres, corre todo o anno, e nele há tres moinhos, cada hum com dous aferidos.

Dista a ditta freguezia da Capital do Reyno vinte e outo legoas, e da Capital do Bispado sinco legoas.

E por todo o referido ser verdade me asinei Alendroal de Abril 26 de 1758.

O Parocho Frei Francisco Xavier Pereira//

/p. 974/

[Em branco//]”

Transcrição: Ofélia Sequeira

 

Etiquetas: Memória Completa

Alvalade, 1758, 15 de Maio

Memória Paroquial de Alvalade, Comarca de Campo de Ourique

[ANTT, Memórias paroquiais, vol. 3, nº 31, p. 259 a 262]

“/p. 259/

1) Alvalade Provincia de Alentejo, Bispado de Evora Comarca do Campo de Ourique.

2) Consta ser de Magestade Fidelissima.

3) Há na Villa, e sua freguezia cento e outenta, e hu vezinhos, fogos ou cazáes; o numero das pessoas he seissentas, noventa e sete.

4) Está cituada em campina da parte do Nascente, e desta se descobre o Castello da Villa de Messejana, que dista duas legoas.

5) Tem termo seu, e neste comprehende a Aldeya das Ermidas, freguezia do Rocho, que tem vinte seis vizinhos, e outra Aldeya chamada dos Modarros, que tem ojto vizinhos citas na dita freguezia do Roxo termo desta Villa.

6) A Paroquia está fora da Villa, mas immediata, e não tem lugares, nem Aldejas na freguezia.

7) O Orago da Paroquia hê Nossa Senhora da Conceipsão da Oliveira; têm seis altares; O altar môr do Sanctissimo Sacramento; O de Nossa Senhora da Conceipsão [sic]; O de Nossa Senhora do Rozario; O das Almas; O de Santo Antonio; O do Evangelista São Marcos; Não tem nave algûa; Tem tres Irmandades, a do Santissimo Sacramento, Almas, e Rozario.

8) O Paroco he Prior Freire Conventuâl da Ordem de São Tiago da Espada, e aprezentado por Magestade Fidelissima como Pró-Mestre da mesma Ordem, e por apparição feita na Mesa da Consciencia, e Ordens, lhe foi conferido o dito beneficio, que tem de renda em dinheiro vinte sinco mil reis, em trigo sento, e outenta alqueires, em sevada sento e vinte alqueires.

9) Tem beneficiados dois, e estes dois beneficiados são freires da mesma Ordem de São Tiago, e da mesma forma aprezentados, como he o Paroco, cada hu dos beneficiados, rende em dinheiro des mil reis, em trigo sento e vinte alqueires, em sevada noventa alqueires.//

/p. 260/

10) Não tem conventos.

11) Não tem Hospital, e só huâ Caza, que se hospedão os pobres administrada pella providencia da Mezericordia.

12) Tem Caza da Mezericordia, e se ignora a sua origem por mais deligencia que se fes; rende huns, ou outros annos sincoenta mil reis, cuja renda he tãobem do Espirito Santo, que coadjuva a Mezericordia uniforme a socorrer a pobreza, e o mais necessario, e não tem couza notavel, que se possa dar relação.

13) Tem Ermidas; huâ do Espirito Santo, e a Mezericordia situâdas na prassa dentro da Villa administradas pello Provedor, e Irmãos da Mezicordia; junto a esta Villa tem duas, huâ de São Pedro já hâ muntos annos demolida, outra de São Sebastião totalmente aruinada no dia do terremoto; outra de São Roque na distancia de huâ legoa, e pertencem â jurisdissão Ordenaria.

14) Não acôdem a ellas romagens, porque os Santos das Irmidas junto a esta Villa se achão na Matriz da mesma, e não se pode indagar se ve[m] a elles em Romaria. Só sim em dia de São Roque dezasseis de Agosto se fas festividade na sua Irmida com assistencia de munta gente.

15) Os frutos que os moradores da terra recolhem em mayor abundancia são trigo, e senteyo, pouca sevada, e milho e feijão.

16) Tem Juizes Ordenarios, e mais officiais da Camara, e he confirmada a justissa pello Ouvidor da Comarca de Ourique.

17) Não tem couto, não he cabeça de Concelho, nem tem mais honra alguâ,não paga pegadas, não tem feudo.

18) Não consta que floressessem, nem della sahissem homês insignes em vertudes, letras ou annos.

19) Não tem feira, e só em vinte sinco de Abril hâ hu breve mercado que dura mejo [sic] dia//

/p. 261/

20) Não tem correjo, e só se serve o estafeta da Villa de Mesejana, que dista desta Villa duas legoas.

21) A distancia desta Villa â cidade de Evora Capital do Arcebispado quatorze legoas, e â cidade de Lisboa Capital do Reyno dezanove.

22) Não tem privilegios, nem antiguidades, e menos couzas dignas de memoria.

23) Junto da Villa hâ alguâs fontes não celebres, só sim de agoa para o povo, não em lagoa, mas sim junto â terra hu pego que a sua agoa, e qualidade he novica.

24) Não tem porto de mar.

25) Não he murada nê[m] tem couza alguâ de que fas menção este interogatorio.

26) A terra em sé padeceo ruyna no terremoto de mil setesentos e sincoenta e sinco, e principalmente nas Igrejas, de que as Irmidas se achão demolidas, e só a Igreja Matriz reparada arequerimento do Paroco na Meza da Consciencia aonde pertence; e a Mizericordia, e Espirito Santo pello Provedor da mesma.

Não há nesta terra Serra, porem a terra Xarneca de coelhos he munto abundante, e de algumas perdizes, e lebres , rapozas, e lobos. E asim se satisfas aos interrogatorios pertensentes á Serra.

Nos interrogatorios pertensentes ao Rio desta terra. Não há rio esó sim hâ tres ribeiras, hûa chamada de São Romão, e nella alguns moinhos, outra//

/p. 262/

Outra do Roxo tãobem com moinhos outra de Campinhas, e nesta hâ huâ ponte de cantaria, e todas correm do Sul ao Norte, em todo o anno se lhe conserva, agoa, em abundancia, em annos esteriles, parão de correr, crião peixes em abundancia, pardelhas, bogas e alguns barbos, e estas pescarias são livres, e não são continuadas em todo o anno e só sim de Inverno; Estas ribeiras se ajuntão nos lemites deste termo, e formãose ao rio Sádao aonde perdem os seos proprios nomes, porem como passão junta a esta Villa se logrão as suas margens de algu[m] arvoredo sylvestre, tendo junto a sy boas terras de lavoura de trigo da parte do Nascente, Norte, e Poente, e algumas hortas com bastante agoa, e nas mesmas margens, aptidão para fabrica de milho e fejão, e da parte do Sul terras, em que achão olivais, vinhas, e a mais terra inutil, por ser agreste pella parte do Sul.

Esta a reposta, que coherente dou âos interrogatorios expedidos por Magestade Fidelissima e remetidos, pello Excelentissimo e Reverendissimo Senhor Arcebispo Alvalade de Mayo 15 de 1758

O Prior de Alvalade

Antonio de Almada Pereira de Suevara e Macedo//”

 

Transcrição: Ofélia Sequeira

[A]bela, 1758, 16 de Maio

Memória Paroquial de Abela, Comarca de Azeitão

[ANTT, Memórias paroquiais, vol. 6, nº 82, p. 599 a 601]

“/p. 599/

Excelentissimo e Reverendissimo Senhor

Pellos entorrogatorios que Vossa Excelencia remeteo a esta freguezia de Nossa Senhora A Bella, informo:

Na provincia do Alentejo está situada a dita freguezia e pertensse ao arcebispado de Evora; hé comarca de Azeytão e termo da villa de Santiago do Cassem.

No prezente não tem donatario, acha-se devoluta à Coroa. Sua aprezentação hé na Meza da Com[s]ciencia e Ordens, cuja se foi pellos Senhores Dezembargadores della por determinação do Fidelicimo el-Rey meo Senhor que a confirma.

Vezinhos tem dezesete fogos; cento e setenta e sinco. O numero das pessoas  são seiscentas e quinze, pouco mais ou menos, pello rol dos confeçados; os maiores e menores que satisfazem ao preceito.

Está situada a dita freguezia e desta parochia em planice, vulgo vargem, e della nenhumas povoaçoins se discobrem. E desta distam duas, as mais perto duas legoas, e outra mais contigua huma legoa; e de sinco para sima as mais.

Hé freguezia felial à matrix da villa de São Thiago de Cassem. Não tem aldeias.

Está a parochia distante das cazas, mais perto, quinhentos passos, pouco mais ou menos, excepto da caza do sanchristão, que se acha conexa ao adro da parte de fora.

Orago hé de Nossa Senhora A Bella, vulgo As[s]sumpção a quinze de Agosto. Tem sinco altares, nos quais existem no mayor a dita Senhora, o Santo Menino Jezus, o Senhor São Pedro. Nos coleterais hum quadro das Santas Almas, Nossa Senhora da Conceição, a Senhora Santa Luzia, a Senhora da Graça, o martir São Sebastiam, Nossa Senhora do Rozario, o Senhor São João Baptista, o senhor Santo Antonio, Nossa Senhora das Candeias. Naves não as tem. Irmandades confirmadas, três: Nossa Senhora A Bella, Nossa Senhora do Rozario e as santas Almas. Os mais são confrades.

O parocho hé freire professo da Ordem de São Thiago de Espada. Sua aprezentação hé pela Meza da Con[s]ciencia e Ordens que o fazem os Senhores Dezembaradores [i.e. Desembargadores] della por determinação do Fidelicimo el-Rey, meo Senhor, que o confirma como já disse.

Sua renda são des mil réis em dinheiro, mas destes se pagam mil e quatrocentos, pouco mais ou menos, aos meninos orphãos e para a festa do patrão, o Senhor São Thiago; dous moyos e meyo de trigo para a congrua do parocho e dous moyos de sevada para a besta.

Não há beneficiados, nem coadjutor algum.

Conventos não há, nem hospital e caza da mizericordia.

Há huma ermida do Senhor São Brissos, distante da dita parochia huma legoa, anexa a esta mesma parochia.

Romagem não acordem contenuados mas sim no dia em que se lhe costumam fazer festa ou dizer missa que hé a//

/p. 600/

treze do mês de Novembro.

Os frutos que os moradores recolhem em mais abundância hé trigo, sendo que muito lemitado pella calidade das terras por menos fertins, e senteio, sevada e algum milho sameyam neste país.

Não há juis, senam a quem chamam da Ventena.

Não hé couto. Nem memoria que florecessem homens em letras ou armas ou especial vertude

Não há feiras.

Do arcebispado, capital de Evora, hé distancia de dezouto legoas; e da capital Reino de Lisboa, vinte e huma.

Não há fonte de memoria, nem lagoa celebre, nem porto de mar.

Com o terremoto do dia primeiro de Novembro houve algumas ruinas nos edeficios, porem acham-se reparados de modo possivel.

Tem de comprimento a largura, a dita freguezia, duas legoas e meia. Seo principio na mina do Bicho, da parte do Nascente, e fim no Sercal Rico da do Poente.

Os brassos e alagoa do Aranho da parte do Norte e a Sobreira do Cano da do Sul.

Rio

Há hum a que chamam d’A Bella. Seu nascimento hé nos Marmeleyros, freguezia de São Francisco da Serra do mesmo termo, distante desta, legoa e meia, e finda no rio Sadão.

O seo cursso hé arrebatado emana da parte do Poente para o Nascente. Concerva pictos , barbos, vulgo sicoins, bordallos e em mais abundância pardelhas.

Hé izento e sem penção para quem quer nelle pescar.

Seca-se sim em muitas partes.

Neste, há moinhos quatro.

Pontes não as tem, de qualidade alguma, nem engenhos.

O tal rio tem sua corrente tinta passos, pouco mais ou menos, junto à dita igreja. E socedeo que no dia sete de Novembro da Era de mil e setecentos e sincoenta haver huma enchente que entrou dentro na igreja e subio a agoa altura das piramedes dos santos donde se acham colocados. Sendo que nenhum se inondou. E na sanchristia cresceo des palmos de altura, fazendo dar de si o arco da capella-maior hum palmo para a parte do pavimento. Demolio quazi todos os estrados das sepulturas por não ficar nenhũa em seo lugar.

E da mesma forma os caixõis e bancos e tudo o mais que na igreja havia, levando tãobem o adro todo, e hum pegão opôs-se, sendo estes de cal e areia. E as vestimentas, frontais, toalhas, os deicham incapazes para o menisterio por cheios de lodo e mais emundice. E se não pode dizer missa mais de outo dias.

E no dia vinte e outo do dito mês supra, sendo que na Era de mil e setecentos e sincoenta e sete houve outro quazi semilhante no cre[s]cido das agoas, mas nos mais efeitos o mesmo.

Nam//

/p. 601/

há metais nem canteiros de pedra, nem outra qualquer calidade de materiais.

A qualidade do sitio hé quente.

Creaçõis de toda a qualidade de gados.

Há senteio em pouca abundancia, e da mesma sorte plantas, mas mais silvestre.

E nada mais digno de memoria neste país ao meo parecer, motivo porque não dou relação.

A Bella, de Maio, 16 de 1758.

as) O padre, Miguel Dias Chaveyro

 

Hé comarca de Azeytão, como já disse, mas hé enquanto à provedoria, mas a ouvedoria hé de Campo de Ourique.//”

Etiquetas: Memória Completa

Santa Maria Madalena, 1758, 6 de Abril

Memória Paroquial de Santa Maria Madalena, Comarca de Vila Viçosa

[ANTT, Memórias paroquiais, vol. 24, nº 179a, p. 1215 a 1220]

 

“Santa Maria Madalena

Monforte

/p. 1215/

Illustrissimo e Reverendissimo Senhór

Por ordem de Vossa Senhoria me foi entregue o papel de perguntas incluzo para que respondese o que delle soubese dar noticia: fazceme [sic] precizo declarar que como nesta Villa, e seu termo ha sinco digo oito freguezias curadas tres na Villa, e sinco no termo para cujos Parochos sei emanou a mesma Ordem, por ezitar a repetição de respostas as mesmas perguntas só responderei ao que souber da minha parochia em particular, elaborei alguãs noticias de toda esta Villa em geral.

Primeiramente esta Villa de Monforte está situada na Provincia de Alentejo distante do Reino de Castella tres legoas, sendo o lugar mais vezinho deste a Villa da Coudiceira que dista daqui tres legoas, e a Prassa de Albuquerque que dista sinco legoas.

Pertense esta Villa ao Bispado de Elvas de que dista quatro legoas. He Comarca de Villa Viçoza, de que dista quatro legoas.He da Serenissima Caza de Bargansa.

Está esta Villa situáda em hum alto com todas as entradas ingremes intensivé, porem naõ extensivé, he cercada de outros altos em pouca distansia que lhe excedem na altura; porem naõ saõ dignas de mensaõ, e só fazem com que esta Villa senaõ veja de longe distansia, e impedem que se vejaõ outras.

Tem esta Villa duas muralhas, que naõ fazem huã pella muita ruina que tem; huma dellas, que dizem se fes nestas ultimas guerras, ou nas da Aclamaçaõ, circumfére [sic] toda a Villa, porem entendo foi só feita para algum repáro, pois he de pedra e barro, e pouco larga, e está quazi toda em terra.

A outra//

 

/p. 1216/

A outra muralha circumfere o interior da Villa, e desta para dentro estárá a tersa parte dos moradores /esta muralha he antiga tem suas ameias, he de pedra e cal, fórte para aquelles tempos, para os prezentes nada: dizem que amandou fazer o Senhor Rei Dom Diniz, ou seu filho o Senhor Rei Dom Afonso, terá vara e meia da largura está o seu castello todo aruinado, e em partes a muralha, dizem que quem lhe fes uzar o castello, e em partes pedassos de muralha, fora o Senhor Dom Joaõ de Austria capitaõ General de El Rei de Espanha/ todas as parochias que estaõ situadas dentro desta Villa que saõ tres, Sancta Maria da Graça, Saõ Pedro, e Sancta Maria Magdalena, tem assua [sic] freguezia parte da muralha interior para dentro, e parte entre huã, e outra muralha, e ainda fora da muralha no termo algum montes; de sorte que esta Villa tomada por si toda se divide entres [sic] partes iguaes o terreno, e a cada parochia pertense assua [sic] parte; porem Sancta Maria da Graça alguã coiza excede, ainda que naõ he muita a defirensa.

Esta Villa tem termo grande pois terá des legoas de circumferensia, em cujo termo ha muitas herdades de paõ bolota e lande por cuja cauza he abundante de paõ e gados, e he o em que tractaõ os moradores desta Villa entra neste termo a linde das terras que o Senhor Rei Dom Afonso o Gordo deo aos Grans Mestres da Ordem de Avis. Esta linde hade entrar na tersa parte, ou qauzi do termo, e todos os dizimos della para fera pertensem as Comendas da Villa de Cabeço de Vide, e Veiros que saõ da Ordem de Avis.

Esta Villa tem Juis de Fora, e tem Cazas da Camera nobres.

O orágo//

 

/p. 1217/

O orágo da minha Igreja he Sancta Maria Magdalena he Igreja antiga pella sua arquitectura, he toda de abobeda, tem huã só nave, tem seis altares o primeiro he o altar mór aonde está o tabernaculo do Sanctissimo Sacramento e nelle estaõ collocadas as Images de Sancta Maria Magdalena da parte do Evangelho, e de Sancta Luzia da parte da Epistola; do Cruzeiro para baixo, junto a elle da parte do Evangelho esta o altar de Nossa Senhora do Rozario com assua [sic] Image, he Confraria; e logo mais abaixo junto a elle esta o altar da Arvore de Jessé [sic], aonde está tambem colocada em vulto a Senhora do Rozario, e nos ramos da Arvore estaõ em vulto colocadas as Imagens pertensentes a mesma Arvore, e famillia, pertense este altar á mesma Confraria de Nossa do Rozario; mais abajoxo da mesma parte do Evangelho está o altar de Saõ Brás, em que esta colocada assua [sic] Image, e a de Saõ Bento em vulto he tambem Confraria.

Da parte da Epistola junto ao Cruzeiro está colocada altar de Sancto Antonio, em que está assua [sic] Imagem em vulto, tem este altar Irmandade; mais abaixo da mesma parte esta o altar dedicado a Saõ Bertolomeu e he Capella, particular nelle está colocada em hum retabolo a Image de Saõ Ber[tolomeu] digo a Image de Nossa Senhora, porem naõ esta lá a Image de Saõ Bertolomeu.

Tem esta Igreja hum Prior e dois benefficiados simpleces [sic], e estes sem mais obrigaçaõ que a dedicarem missa nesta Igreja todos os Domingos, e dias festivos ou por si, ou por outrem /porem esta obrigaçaõ he sómente na rezaõ do lugar, e naõ da tensaõ da missa/ e tem hum Thezoureiro.

He esta//

 

/p. 1218/

He o Priorado desta Igreja da aprezentaçaõ dos Serinissimos Duques de Bargansa.

Os dois beneffici[ad]os simpleces [sic], e a Thezouraria saõ da aprezentaçaõ do Prior da Igreja como Donatário no uso do Padroado da Serenissima Caza.

A renda desta Igreja he a sexta parte de todos os dizimos desta Villa e seu termo /excepto das terras que asima digo pertensem as Comendas de Avis/deductis e expensis poderaõ ficar liquidos para o Prior: disse deductis expensis porque posto que a renda venha a dar conquinhos [sic] mil reis tem as pensois seguintes para os quais concorrem os Benefficiados com assua [sic] quarta parte, assim como ambos tem a quarta parte de todos os dizimos da Igreja.

Primeiramente tem esta Igreja vinte e quatro mil reis cada anno á Real Capella de Villa Viçoza doze por Saõ Joaõ doze por Natal.

Tem doze mil reis de fabrica para a Igreja em cada hum anno.

Tem oito alqueires de azeite para a lampada em cada hum anno.

Tem hum moio digo secenta alqueires de trigo para o Thezoureiro em cada hum anno.

Tem toda a Sera vinho, e hostia e roupa lavada emfim todos os gases da Igreja excepto concertos, e obras novas porque estas saõ á custa da fabrica tendera, e naõ atendo se fazem a custa do Prior, e Benefficiados /sendo precizo segundo as suas partes.

Tem esta freguezia trezentas e quarenta e duas pessoas, e cento e seis fogos.

Nesta terra//

 

/p. 1219/

Nesta terra ha huã feira que dura tres dias, he franca,e só paga terrado a Nossa Senhora da Conceicaõ Hermida citta no rocio desta Villa no districto de Sancta Maria da Graçaa feira se fás em Agosto dia de Saõ Bernardo, e nos dois seguintes.

Desta Villa se ve a cidade de Portalegre á parte do Norte na destansia de quatro legoas.

A parte do Sul entre Norte e Poente se ve a notavel Villa de Estremos na distancia de quatro legoas; e a Villa de Veiros na distansia de duas legoas.

A parte do Poente se ve a Villa de Souzél na distansia de sinco legoas; e a Villa de Fronteira na distansia de tres legoas.

A parte do Sul mais alguã coiza para a parte do Norte se ve a Villa de Barbacena na distansia de duas legoas.

Dista de Lisboa Capital do Reino vinte e sette legoas.

Naõ nasce nesta Villa, nem em seu termo rio algum nem por elle passa, e só alguas ribeiras chamadas a ribeira da Villa, ribeira de Léca, e ribeira de Algalé,que só correm emquanto chove,e conservaõ o nome emquanto naõ saem deste termo.

Naõ há Serra, nem monte nesta Villa, ou seu termo digno de memória.

Disse o que tudo certifico Monforte 6 de Abril de 1758.

O Prior Donatário, Nicolao Joaquim Ortigaõ [assinatura autógrafa]”

 

Transcrição: Ofélia Sequeira

Revisão: Ofélia Sequeira

 


http://www.seo.mavi1.org http://www.mavi1.org http://www.siyamiozkan.com.tr http://www.mavideniz1.org http://www.mavideniz.gen.tr http://www.17search17.com http://www.siyamiozkan.com http://www.vergi.gen.tr http://www.prsorgu.org http://www.seoisko.net http://www.seoisko.org http://www.ukashhizmet.com http://www.ukashmavi.com http://www.sirabulucu.net http://www.kanuntr.com http://www.kanuntr.org http://www.kanuntr.net http://www.kananlartr.com http://www.kananlartr.org http://www.kananlartr.net http://www.haberbul.org http://www.iskoseo.com http://www.iskoseo.net http://www.iskoseo.org http://www.siyamiozkan.net