Memórias Paroquiais

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
Início
Pesquisar
Um total de 206 resultado(s) encontrado(s).
Etiqueta: Memória Completa
  • Memórias Paroquiais (206)

Santo Amaro, 1758, Maio, 17

Memória Paroquial da freguesia de Santo Amaro, comarca de Avis

[ANTT, Memórias Paroquiais, vol. 3, nº 62, pp. 487 a 490]

 

/p. 487/

Do cura da freguesia de Santo Amaro termo de Veiros

Pelo Ilustrissimo e Reverendissimo Cabido deste Bispado de Elvas me foi mandado

responder aos emterrogatorios apensos no termo e tempo de dois meses, e por ser o

dito tempo da quaresma ocupado e não fis e agora em virtude do dito mandado

respondo na forma seguinte:

1) Que a freguesia de Santo Amaro termo da Vila de Veiros fica no Bispado da

cidade de Elvas, na Comarqua de Avis, e he filial a Matris da dita Vila de Veiros.

2) Que a Igreia do Santo Amaro desta dita freguesia he da Ordem de São Bento de

Avis apresentada pela Menza da Conciencia quanto ao beneficio e quanto ao

curativo he da aprovação do Ordinario do dito Bispado de Elvas.

3) Que tem pesoas de confição duzentas e sincoenta e nove, almas duzentas, e

fogos setenta e outo.

4) Que a dita Igreia de Santo Amaro esta situada em hua planicie junta ao ribeiro

chamado do Lupe, e dela senão descobrem povoaçoens algumas.

5) Que não tem termo seu por ser somente freguesia de campo, e do termo da

Vila de Veiros parte, e parte da Vila de Fronteira e não tem lugares de nome,

mais que tam somente huns montes juntos, a que chamão Aldeia de Santo

Amaro, que consta de deseseis vezinhos.

6) Que a Parrochia de Santo Amaro está fora da Vila de Veiros em distancia de

hua legoa para a parte do Poente.

7) Que o Orago desta dita Igreia he Santo Amaro imagem muito antigua muito

pequena. mas de aspecto fermozo e sem braços e deste modo he tradição em

memoravel que fora por hu[m] ganadeiro de gado achada naquela sitio aonde

se lhe fandou [fundou] a Igreia que erão matos fortes e emtricados, e ainda

hoje se acha com hua a dita imagem com hua festimenta de linho tão junta e

pegada a si, que se lhe não pode tirar//

/p. 488/

Tirar nem por modo algum descoser e tambem é tradição que querendo tirar a

dita Imagem o dito vestido se lhe fes empossivel o intento for Imagem com a

qual os moradores da Vila de Veiros e todo o seo termo, e da Vila de Fronteira

e especialmente a Prasa de Estremos do Arcebispado de Evora tinhão uita

devoção e vesitação de sua caza com frequentes romagens e ofertas de sera e

trigos e ainda hoje na sua Igreia ha hua balança em que os romeiros se pesavão

o trigo, e as cazas, aonde hoje he morador o Ermitão junto a Igreia he tradição

certa que forão fundadas pelos romeiros, que vinhão vesitar a dita Imagem da

Praça, e cidade de Evora porem ja hoje não ha frequencia algua nas ditas

romagens, e somente no dia quatorze de Janeiro acode muita gente das terras

e termo circonvezinhas por ser o dia em que se lhe fas a sua festa e he a sua

Igreia [sic] de hua nave, e tem capela mor em que está colocado o dito, orago e

tem quatro altares colatrais e vem a ser hu[m] de Nossa Senhora do Rozario;

outro do Santo Christo e Almas ao lado esquerdo ao lado direito hu[m] do

Santo Menino, e outro de Santo Antonio, e não tem Irmandade algua.

8) Que o Parrocho he Cura da Apresentação de El Rei como fica dito e tem de

renda sento e outenta alqueires de trigo e sesenta, de sevada, que pagão os

mesmos freguezes cada hu[m] sua porção pelas erdades e os cazeiros cada

hu[m] alqueire cuja porção he chamada bodo, que por contenção, que fizerão

tresi [sic] os mesmos freguezes se obrigarão a satisfacer [sic] annualmente ao

Parrocho, e terá de renda do benece sincoenta mil reis pouco mais ou menos.

9) Deste nada, nem do 10, nem do 11, nem do 12.

13) Que tem na distancia da Igreia hu[m] quarto de legoa pouco mais ou menos

para a parte do Nascente hua Ermida filial a dita Igreia de Santo Amaro da imvoção

desta Maria Magdalena aonde, se costuma celebrar missa quando algum devoto

amanda dizer, e he Ermida muito pequena muito pobre, e de hu[m] altar só.

14) Que alguns devotos costumão vesitar a Imagem desta Ermida co alguás//

/p. 489/

Com algumas ofertas.

15) Que as terras da freguesia são cultivadas pelos lavradores siareiros e

trabalhadores e os frutos, que em mais abundacia colhem hé trigo e cevada e

legumes, e em especial de hum sitio chamado o Paso da Alvarinha, que são terras

de barro forte.

16) Que os freguezes desta freguesia estão sogeitos parte deles ao governo da

justiça e juizo geral da Vila e outra parte ao da Vila de Fronteira por serem

moradores no seo termo.

17) Deste nada, nem do 18, nem do 19 nem do 20.

21) Que a dita freguesia de Santo Amaro dista da cidade de Elvas seis legoas que he

a capital do Bispado da Vila de Avis, que a capital da Comarqua, e vinte e tres da

cidade de Lisboa, que he a capital do Reino.

22) Deste nada, nem do 23, nem do 24 nem 25.

26) Que no terremoto de 755 não padeceo a dita Igreia [sic] de Santo Amaro ruina

alguma ainda que se acha de presente muito arruinada, e os tilhados muito

demolidos, o que tem sucido [sucedido] tractos temporais e por não haver davoção

para este effeito nos freguezes estando elles obrigados ao seo ornato e reparos

nem zelos nos Parrochos que athe agora tem servido.

27) Que pelos lemites da freguesia corre hua Ribeira chamada da Analoura junta

com a da Alcaravissa aquela tem o seo nascimento na freguezia de São Domingos

do termo da Praça de Estremos e esta junto aos Coutos da Vila de Borba, e corre

para o Poente e se ajunta com a de Fronteira da qual toma muito peiche, e de sua

criação he fertil deles especialmente de bordalos de bom gosto.

E por não haver mais de que possa responder com evidencia certa me asignei

sendo aos de 17 de Mayo de 1758.

O Cura Emcomendado Joze Martins [assinatura autógrafa]

 

Transcrição: Ofélia Sequeira

Santiago, 1758, Maio, 15

Memória Paroquial da freguesia de Santiago, comarca de Portalegre

[ANTT, Memórias Paroquiais, vol. 22, nº 74a, pp. 499 a 502]

 

/p. 499/

Excelentissimo e Reverendissimo Senhor satisfazendo à cartta em que Vossa

Excelencia me manda responder aos interrogatorios incluzos, informo sobre elles na

forma seguinte = pello que respeita a ésta Igreja de São Thiago a terra em que está

chamase Marvão, hé Villa muito antigua com seu termo, hé de El Rei, antiguamente

teve Juizes Ordinarios e hoje tem Juis de Fora, fica em a Provincia do Alentejo, e

pertençe o Bispado, e Comarca da Cidade de Portalegre, hé praça de armas, ou

prezidio com seus muros ainda que muito aruinados, a guarnissão para ella de

soldados vem da Villa de Castello de Vide, que fica distante hũa legoa, aonde está o

regimento;

Tem ésta Villa duas freguezias, hũa hé da Invocassão de Sancta Maria que hé a Matris,

e outra de São Thiago, que hé ésta da qual dou a informação pedida por ser Prior

Emcomendado actualmente della, hũa e outra são Priorados;

Tem ésta freguezia de São Thiago, cento oitenta e nove vizinhos, e pessoas por todas

setecentas oitenta e sete, porem tem muitos pardieiros, porque caza que cae, não se

levanta, fica em hum monte muito elevado ésta Villa, e della se descobrem varias

terras cujas distancias não digo, porque o Reverendo Prior da Igreja Matris, as referio

na sua informassão, e por não repetir o mesmo, a que me remetto, e reporto em tudo;

He o Orago desta Parochia o Apostolo São Thiago, tem sinco altares, o altar mor,

aonde está o dicto Apostolo, outro collateral do Apostolo São Pedro, e outro tão bem

collateral do Archanjo São Miguel, huã Cappella da Sanctissima Trindade, e outra da

Senhora da Conçeissão, tem mais esta Igreja em o dicto altar mor Sancta Maria

Magdalena em correspondencia de São Thiago, a Senhora do Socorro em hum nicho, e

a dicta Senhora está no meio em seu nicho, e a Cappella da Sanctissima Trindade tem

o Padre Eterno com hum Crucifixo em os braços, e a Pomba em o peito, e todas as

Imagens asima dictas estão em vulto, he o pavimento desta Igreja todo estradado e o

tecto hé de madeira e a Cappella mor hé de abobeda com suas mólduras muito bem

feitas, tem taobem ésta Igreja tres naves, que e sustentão em columnas de alvaneria

tem duas Irmandades hua da Senhora da Conceissão aqual tem rendimentos para seu

ornato, e outra do Apostollo São Pedro da qual são Irmãos os Reverendos Padres desta

Villa, e tão bem tem rendimentos tem três portas, a principal que fica para o Poente, e

duas travessas, hua para Norte, e outra para Sul.

O Senhor Grão Prior do Cratto hé quem aprezenta éste beneficio, que hé da relligião

de Malta, hé Priorado, e agora se acha vago, e quem serve hé Emcomendado, rende

huñs annos por outros seiscentos mil reis, não tem beneficiados, está penssionado

com cem mil reis, que cada hum anno se pagão, pagão para Lisboa a dois cappelains

do dicto Senhor Infante tem este beneficio hum Coadjutor Collado a quem cada hum

anno se dão quarenta mil reis, e hum thezoureiro tão bem collado a quem se dão oito

mil reis cada hum anno dos rendimentos deste beneficio, a hum e outro;

/p. 500/

Tem ésta freguezia extramuros huã Hermida de São Sebastião, outra de São Bras,

outra de São Domingos, e outra do Calvario, as quais por alternativa pertencem hum

anno à Matris e outro a esta de São Thiago, e outro de Santo Antonio, que se fes agora

de novo a qual administra os collegiais do Spiritto Sancto da Villa de Castello de Vide

aos quais deixou hum clerigo desta Villa chamado o Padre Manoel Tavares que andou

nas partes ultramarinas, todos os seus bens com penssão de mandarem edificar a dicta

Hermida de Santo Antonio e como este prezente anno pertençe a esta Igreja de São

Thiago a Hermida de São Sebastião e ésta se acha em hũa aldeia que se chama dos

Gallegos tem ésta aldeia, com outra que se chama da Pitaranha e alguns cazais mais

que estão disjunctos, quarenta e nove vizinhos, e pessoas por todas duzentas trinta e

hua;

Tem mais esta freguezia huã cappella ou oratorio da qual hé orago o Senhor Jessus

aonde se dis missa para Conssolassão [sic] dos prezos, aqual instituhio huã Catherina

Viegas desta terra e esta lhe deixou algúns béns para que dos rendimentos se

chamasse da qual he Cappellão o Reverendo Prior de Sancta Maria Matris desta Villa, e

à Cappella da Sanctissima que está nesta Igreja de São Thiago como já diçe, a instituhio

hum Manoel Carrilho desta Villa da qual hé administrador e Cappellão o Reverendo

Prior de São Martinho da cidade de Portalegre declaro que hé da Sanctissima Trindade

a Cappella de que falo;

Pertençente a esta freguezia não há engenhos mais do que hum moinho de cubo que

agora, se fés de novo, em a dicta aldeia dos Gallegos;

Dista ésta terra da Capital do Bispado, que hé a cidade de Portalegre, como já diçe

duas legoas, e da Capital do Reino//

/p. 501/

Do Reino trinta e sinco, e como das mais terras que desta se avistão, deu copioza

informassão o dicto Reverendo Prior de Sancta Maria Matris, como taobem dos mais

interrogatorios, dou a minha informassão por acabada por não repetir aqui o mesmo

que está dicto com toda a exacção, e elegancia e só me remetto, e reportto em tudo, e

por tudo ao que elle dice, e os Reverendos Padres Curas das freguezias do termo desta

Villa, pois tem o termo trés freguezias, huã e a principal he o Caes Salvador da

Aramenha, e outra de Santo Antonio das Areias, e a outra hé de São Jullião de Severa e

assim satisfasso ao que Vossa Excelencia me imcumbio e para tudo o mais fico as

ordens de Vossa Excelencia que Deus Guarde como dezejo Marvão 15 de Maio de

1758.

Menor Subdito de Vossa Excelencia Reverendissima

O Prior Emcomendado Domingos Rodrigues Fronteira [assinatura autógrafa]

 

Transcrição: Ofélia Sequeira

Santana da Serra, 1758, Julho, 24

Memória Paroquial da freguesia de Santana da Serra, comarca de Évora

[ANTT, Memórias Paroquiais, vol. 34, nº 141, pp. 1047 a 1050]

 

/p. 1047/

Excelentissimo e Reverendissimo Senhor

Por ordem de Vossa Excelencia Magestade Reverendissima me foi entregue hua

minuta para que por ella lhe dece noticia do que em ella se contem de todas as couzas

notaveis que ouvese nesta freguezia de Sancta Anna da Serra termo da Villa de

Ourique.

Esta freguezia se chama a de Sancta Anna da Serra termo da Villa de Ourique cabesa

desta Comarca, Arcebispâdo de Evora, Provincia de Alentejo.

Aqual he de El Rej meu Senhor muito fidellicimo.

Tem trezentos e trinta e seis vezinhos nos quais se contão novesentas e sincoenta e

duas pesoas de Comunhão, e trezentas e sesenta e seis menores.

Achace situada em o peé ou bacho de hum monte por cuja cauza della senão descobre

povoasão alguma.

Em ella há duas Aldeias huma chamada a da Igreija, que tem vinte e sinco vezinhos e a

outra chamada a do Estiejro que tem seis vezinhos.

A Igreija Parrochia se acha situada no meio da tal Aldeja.

O seu Orâgo he a Senhora Sancta Anna, cuja Igreija tem tres altares hû da Senhora

Sancta Anna, outra da Senhora do Rozario, e outro da Senhora do [borrão] Crûs, e não

tem nave alguâ//

/p. 1048/

hem ella há duas Irmandades, que são a da Senhora do Rozario e a das Sanctas Almas.

O Parrocho della he capellão aprezentâdo por Sua Magestade que Deos guarde muito

fidellicima, e freiye profeso da Ordem de Santhiago, e tem de renda em cada hum

anno tres moios de trigo e dois de sevada pagos pellos freguezes.

Os fructos que em mais abundancia colhem os moradores della são trigo, senteio, e

sevada tem juis e escrivão da ventenna subjeitos as justiças da Villa de Ourique.

Ha em ella em o dia da Senhora Sancta Anna hum pequeno mercádo.

Não tem correjo, antes se serve do da Villa de Ourique, que dista tres legoas.

Aqual freguezia dista da cidade de Evora capital deste Arcebispado vinte e huma

legoas e da cidade de Lisboa capital do Rejno trinta e duas.

Dos mais interrogatorios desta primeira parte de que não faço mensão não falo por

não haver couza de que delles posa escrever.

Noticia da Serra

Esta freguezia toda esta situada em a Serra que tem varios nomes, que toma das

freguezias que em ella hâ; porque em humas partes se chama a Serra de São Luis e de

Odemira que se achão nella, chamace a Serra de São Martinho e Caldeirão, Sancta

Clara a Velha, e Sancta Anna da Serra termo de Ourique porque se achão nella

chamace Serra de São Bernabé termo da Villa de//

/p. 1049/

Da Villa de Almodouvar tudo Arcebispado de Evora Provincia de Alentejo, em outras

partes se chama Serra da Alface e Monchique termo da cidade de Silves chamace Serra

de Cachopo e Tavira tudo Bispado de Faro Provincia dos Algarves, que tão bem se

achão em ella.

Comesa esta na freguezia de São Luis termo da Villa de Odemira e vai findar no Rio da

Guadianna que devide este Rejno [sic] do de Hespanha, e tem de cumprido trinta e

quatro legoas e de largura na mais larga parte nove legoas como he dos Gioens a

Tavira e nas mais partes tem sinco e seis legoas de largura.

Os mais principais brasos della chamâoce Serra de São Luis, Serra de Monxique, Serra

de São Martinho e Caldeyrão, Serra de Tavira.

Da tal Serra nascem o Rio de Odemira, e o rio da cidade de Silves os quais rios se

metem no mar, o de Odemira a Villa Nova de Milfontes Arcebispâdo de Evora

Provincia de Alentejo cada cidade de Silves a Villa Nova de Portimão Bispado de Faro

Provincia dos Algarves.

Nesta Serra se acha situado o lugar de Monxique hã huã planice chamada a Foia donde

nascem copiozas agoas que regão varios pomares fará moer muitos moinhos, e pizóis,

e na mesma freguezia destante do lugar huã legoa em o fundo de hu outeiro nascem

maravilhozas agoas donde se achão feitos banhos, ou caldas, a que chamão de

Monxique, em cujas agoas quotidianamente se experimentão maravilhozos effeitos

porque em ellas se curão quazi todas as queichas [sic] que padescem os corpos

humanos, não somente tomando banhos mas ahinda bebendo della serve de

Medecina das mesmas sahindo fazem moer alguns moinhos//

/p. 1050/

Aqual Serra quazi toda se cultiva e os fructos que dá saô trigo senteio e sevada.

Esta no Inverno he de temperamento frigidicimo, e no Verão he sumamente callido.

Naquele se crião varios generos de gádos como são ovelhas, porcos cabras bois e

bestas grandes e pequenas e em mais abundancia colmeias e cabras, nella tão bem se

cria muita caça como são coelhos, perdizes, e alguns porcos montezes e corços, lobo, e

rapuzas.

Dos mais interrogatorios desta segunda parte não falo como tão bem na terceira parte

por não achar noticia digna de se escrever e que posa dar.

E depois de fazer huma exacta deligencia he o que pude averigua asim por meio como

por outrem Vossa Excelentissima e muito Reverendissima mandara o que for servido

Sancta Anna 24 de Julho de 1758.

O Parocho Encomendado Manuel Guerreiro Ayres [assinatura autógrafa]

 

Transcrição: Ofélia Sequeira

Santa Susana, 1758, Maio, 2

Memória Paroquial da freguesia de Santa Susana, comarca de Évora

[ANTT, Memórias Paroquiais, vol. 35, nº 244, pp. 1735 a 1738]

 

/p. 1735/

N. 244 – Santa Susana termo Redondo Comarca Evora – 1735

Excelentissimo e Reverendissimo Senhor

A inquiriçam que pude alcansar sobre os interrogatorios he a seguinte

1) Em a Provincia do Alem-Tejo está a freguezia de Santa Suzanna termo da Villa

do Redondo Arcebispado e Comarca da cidade de Evora.

2) [Sem resposta]

3) Tem esta freguezia settenta vizinhos dispersos por varios montes ou erdades,

pessoas duzentas e sessenta e sette.

4) [Sem resposta]

5) [Sem resposta]

6) Tem mais esta freguezia huma Aldea chamada Aldea dos Foros de Santa

Suzanna = tem sincoenta vizinhos, e pessoas cento e sincoenta e a Paroquia

está fora da Aldea.

7) O orago della he Santa Suzanna virgem e martir tem sinco altares, o altar mayor

do seu orago, altar de Senhora do Rozario altar do Archanjo Sam Miguel, altar

da Senhora da Vizitaçam, e o altar da Senhora da Piedade, tem duas

Irmandades, Irmandade da Senhora do Rozario, e Irmandade das Almas do

Purgatorio, e he e huma nave de abobada.

8) O Parocho he cura aprezentado pelo Excelentisimo Ordinario, tem de renda

quatro moyos de trigo, e hum de sevada.

9) [Sem resposta]

10) [Sem resposta]

11) [Sem resposta]

12) [Sem resposta]

13) Tem huma Ermida de Sam Domingos da Ordem, fora da Aldea em huma erdade

chamada, erdade de Sam Domingos da Ordem, e nam sei a quem pertença;

porque os de votos aparamentam e ornam.

14) Nam tem dias determinados de romagens, e as que vam em mayor concurso he

em o dia que os votos festejam o Santo//

/p. 1736/

O Santo mas este dia nam he dia certo porque he quando os festeiros

determinam.

15) Os frutos terra que os moradores recolhem em mayor abundancia, he trigo.

16) Tem Juis da Vintena, e está sujeita parte della ao governo das justissas da Villa

do Rodondo e outra parte ao Governo das Justissas da cidade de Evora; por

estar esta freguezia situada em dois termos a saber termo da Villa do Rodondo,

termo da cidade de Evora.

17) [Sem resposta]

18) Ha memoria de nascer nesta freguezia Frey Bernardo da Ordem dos Pregadores

insigneem letras, o qual fora lente em sua religiam, filho de Joze Coelho e de

Thereza de Jesus.

19) [Sem resposta]

20) Nam tem correyo e o correyo de que de ordinario, se serve, he da cidade de

Evora, da qual dista tres legoas.

21) Da cidade de Evora capital do Arcebispado dista tres legoas, e da de Lisboa

capital do Reyno dista vinte duas legoas.

E sobre os mais interrogatorios nam tenho que dizer, e onde vay só o numero,

he por nam haver que haver que dizer nelles.

E emquanto sobre os enterrogatorios da Serra nam tenho que dizer; por nam

haver Serra nesta freguezia.

Interrogatorios em que se procura saber dos Rios.

1) Passa por esta freguezia hum rio, ou ribeira chamada do Freixo, nasce das

fraldas da//

/p. 1737/

da Serra de Ossa.

2) Nam nasce caudozo e só corre quando chove, quazi per ironia ou hyperbole

se pode asim dizer pela pouca duraçam das suas agoas.

3) [Sem resposta]

4) [Sem resposta]

5) [Sem resposta]

6) Corre de Norte a Sul.

7) Cria alguns peixes, chamados pardelhas, e bordalos.

8) E os curiozos fazem nelle suas pescarias asim deVeram como de Inverno de

Veram em seus pegos que parmanecem com agoa.

9) As pescarias sam livres.

10) A mayor partes das suas margens se cultivam em searas de trigo.

11) [Sem resposta]

12) [Sem resposta]

13) Morre em outro rio na ribeira chamada de Pardiellas em o sitio chamado

Val de Gorou [sic].

14) [Sem resposta]

15) [Sem resposta]

16) Tem moynhos, e nam tem outro algum engenho.

17) [Sem resposta]

18) [Sem resposta]

19) Tem o dito rio duas legoas, e meya, e passa pela Aldea asima declarada dos

Foros de Santa Suzanna, e junto a Paroquia da dita freguezia de Santa

Suzanna. E nam tenho mais que dizer sobre os interrogatorios, e os que

levam somente o numero he por nam haver nelles que dizer

Santa Suzanna 2 de Mayo de 1758

O Parocho Andre de Carvalho [assinatura autógrafa]

 

Transcrição: Ofélia Sequeira

Santa Maria Madalena, 1758, Abril, 6

Memória Paroquial da freguesia de Santa Maria Madalena, comarca de Vila Viçosa

[ANTT, Memórias Paroquiais, vol. 24, nº 179a, pp. 1215 a 1220]

 

/p. 1215/

Illustrissimo e Reverendissimo Senhór

Por ordem de Vossa Senhoria me foi entregue o papel de perguntas incluzo para que

respondese o que delle soubese dar noticia: fazceme [sic] precizo declarar que como

nesta Villa, e seu termo ha sinco digo oito freguezias curadas tres na Villa, e sinco no

termo para cujos Parochos sei emanou a mesma Ordem, por ezitar a repetição de

respostas as mesmas perguntas só responderei ao que souber da minha parochia em

particular, elaborei alguãs noticias de toda esta Villa em geral.

Primeiramente esta Villa de Monforte está situada na Provincia de Alentejo distante do

Reino de Castella tres legoas, sendo o lugar mais vezinho deste a Villa da Coudiceira

que dista daqui tres legoas, e a Prassa de Albuquerque que dista sinco legoas.

Pertense esta Villa ao Bispado de Elvas de que dista quatro legoas. He Comarca de Villa

Viçoza, de que dista quatro legoas. He da Serenissima Caza de Bargansa.

Está esta Villa situáda em hum alto com todas as entradas ingremes intensivé, porem

naõ extensivé, he cercada de outros altos em pouca distansia que lhe excedem na

altura; porem naõ saõ dignas de mensaõ, e só fazem com que esta Villa senaõ veja de

longe distansia, e impedem que se vejaõ outras.

Tem esta Villa duas muralhas, que naõ fazem huã pella muita ruina que tem; huma

dellas, que dizem se fes nestas ultimas guerras, ou nas da Aclamaçaõ, circumfére [sic]

toda a Villa, porem entendo foi só feita para algum repáro, pois he de pedra e barro, e

pouco larga, e está quazi toda em terra.

A outra//

/p. 1216/

A outra muralha circumfere o interior da Villa, e desta para dentro estárá a tersa parte

dos moradores /esta muralha he antiga tem suas ameias, he de pedra e cal, fórte para

aquelles tempos, para os prezentes nada: dizem que amandou fazer o Senhor Rei Dom

Diniz, ou seu filho o Senhor Rei Dom Afonso, terá vara e meia da largura está o seu

castello todo aruinado, e em partes a muralha, dizem que quem lhe fes uzar o castello,

e em partes pedassos de muralha, fora o Senhor Dom Joaõ de Austria capitaõ General

de El Rei de Espanha/ todas as parochias que estaõ situadas dentro desta Villa que saõ

tres, Sancta Maria da Graça, Saõ Pedro, e Sancta Maria Magdalena, tem assua [sic]

freguezia parte da muralha interior para dentro, e parte entre huã, e outra muralha, e

ainda fora da muralha no termo algum montes; de sorte que esta Villa tomada por si

toda se divide entres [sic] partes iguaes o terreno, e a cada parochia pertense assua

[sic] parte; porem Sancta Maria da Graça alguã coiza excede, ainda que naõ he muita a

defirensa.

Esta Villa tem termo grande pois terá des legoas de circumferensia, em cujo termo ha

muitas herdades de paõ bolota e lande por cuja cauza he abundante de paõ e gados, e

he o em que tractaõ os moradores desta Villa entra neste termo alinde das terras que

o Senhor Rei Dom Afonso o Gordo deo aos Grans Mestres da Ordem de Avis. Esta linde

hade entrar na tersa parte, ou qauzi do termo, e todos os dizimos della para fera

pertensem as Comendas da Villa de Cabeço de Vide, e Veiros que saõ da Ordem de

Avis.

Esta Villa tem Juis de Fora, e tem Cazas da Camera nobres.

O orágo//

/p. 1217/

O orágo da minha Igreja he Sancta Maria Magdalena he Igreja antiga pella sua

arquitectura, he toda de abobeda, tem huã só nave, tem seis altares o primeiro he o

altar mór aonde está o tabernaculo do Sanctissimo Sacramento e nelle estaõ

collocadas as Images de Sancta Maria Magdalena da parte do Evangelho, e de Sancta

Luzia da parte da Epistola; do Cruzeiro para baixo, junto a elle da parte do Evangelho

esta o altar de Nossa Senhora do Rozario com assua [sic] Image, he Confraria; e logo

mais abaixo junto a elle esta o altar da Arvore de Jessé [sic], aonde está tambem

colocada em vulto a Senhora do Rozario, e nos ramos da Arvore estaõ em vulto

colocadas as Imagens pertensentes a mesma Arvore, e famillia, pertense este altar á

mesma Confraria de Nossa do Rozario; mais abajoxo da mesma parte do Evangelho

está o altar de Saõ Brás, em que esta colocada assua [sic] Image, e a de Saõ Bento em

vulto he tambem Confraria.

Da parte da Epistola junto ao Cruzeiro está colocada altar de Sancto Antonio, em que

está assua [sic] Imagem em vulto, tem este altar Irmandade; mais abaixo da mesma

parte esta o altar dedicado a Saõ Bertolomeu e he Capella, particular nelle está

colocada em hum retabolo a Image de Saõ Ber[tolomeu] digo a Image de Nossa

Senhora, porem naõ esta lá a Image de Saõ Bertolomeu.

Tem esta Igreja hum Prior e dois benefficiadossimpleces [sic], e estes sem mais

obrigaçaõ que a dedicarem missa nesta Igreja todos os Domingos, e dias festivos ou

por si, ou por outrem /porem esta obrigaçaõ he sómente na rezaõ do lugar, e naõ da

tensaõ da missa/ e tem hum Thezoureiro.

He esta//

/p. 1218/

He o Priorado desta Igreja da aprezentaçaõ dos Serinissimos Duques de Bargansa.

Os dois beneffici[ad]os simpleces [sic], e a Thezouraria saõ da aprezentaçaõ do Prior da

Igreja como Donatário no uso do Padroado da Serenissima Caza.

A renda desta Igreja he a sexta parte de todos os dizimos desta Villa e seu termo

/excepto das terras que asima digo pertensem as Comendas de Avis/deductis e

expensis poderaõ ficar liquidos para o Prior: disse deductis expensis porque posto que

a renda venha a dar conquinhos [sic] mil reis tem as pensois seguintes para os quais

concorrem os Benefficiados com assua [sic] quarta parte, assim como ambos tem a

quarta parte de todos os dizimos da Igreja.

Primeiramente tem esta Igreja vinte e quatro mil reis cada anno á Real Capella de Villa

Viçoza doze por Saõ Joaõ doze por Natal.

Tem doze mil reis de fabrica para a Igreja em cada hum anno.

Tem oito alqueires de azeite para a lampada em cada hum anno.

Tem hum moio digo secenta alqueires de trigo para o Thezoureiro em cada hum anno.

Tem toda a Sera vinho, e hostia e roupa lavada emfim todos os gases da Igreja excepto

concertos, e obras novas porque estas saõ á custa da fabrica tendera, e naõ atendo se

fazem a custa do Prior, e Benefficiados /sendo precizo segundo as suas partes.

Tem esta freguezia trezentas e quarenta e duas pessoas, e cento e seis fogos.

Nesta terra//

/p. 1219/

Nesta terra ha huã feira que dura tres dias, he franca, e só paga terrado a Nossa

Senhora da Conceicaõ Hermida citta no rocio desta Villa no districto de Sancta Maria

da Graça a feira se fás em Agosto dia de Saõ Bernardo, e nos dois seguintes.

Desta Villa se ve a cidade de Portalegre á parte do Norte na destansia de quatro

legoas.

A parte do Sul entre Norte e Poente se ve a notavel Villa de Estremos na distancia de

quatro legoas; e a Villa de Veiros na distansia de duas legoas.

A parte do Poente se ve a Villa de Souzél na distansia de sinco legoas; e a Villa de

Fronteira na distansia de tres legoas.

A parte do Sul mais alguã coiza para a parte do Norte se ve a Villa de Barbacena na

distansia de duas legoas.

Dista de Lisboa Capital do Reino vinte e sette legoas.

Naõ nasce nesta Villa, nem em seu termo rio algum nem por elle passa, e só alguas

ribeiras chamadas a ribeira da Villa, ribeira de Léca, e ribeira de Algalé, que só correm

emquanto chove, e conservaõ o nome emquanto naõ saem deste termo.

Naõ há Serra, nem monte nesta Villa, ou seu termo digno de memória.

Disse o que tudo certifico Monforte 6 de Abril de 1758.

O Prior Donatário, Nicolao Joaquim Ortigão

 

Transcrição: Ofélia Sequeira


http://www.seo.mavi1.org http://www.mavi1.org http://www.siyamiozkan.com.tr http://www.mavideniz1.org http://www.mavideniz.gen.tr http://www.17search17.com http://www.siyamiozkan.com http://www.vergi.gen.tr http://www.prsorgu.org http://www.seoisko.net http://www.seoisko.org http://www.ukashhizmet.com http://www.ukashmavi.com http://www.sirabulucu.net http://www.kanuntr.com http://www.kanuntr.org http://www.kanuntr.net http://www.kananlartr.com http://www.kananlartr.org http://www.kananlartr.net http://www.haberbul.org http://www.iskoseo.com http://www.iskoseo.net http://www.iskoseo.org http://www.siyamiozkan.net