Memórias Paroquiais

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
Início
Pesquisar
Um total de 206 resultado(s) encontrado(s).
Etiqueta: Memória Completa
  • Memórias Paroquiais (206)

Borba, 1758, Junho, 15
Memória Paroquial da freguesia de Borba, comarca de Vila Viçosa
[ANTT, Memórias Paroquiais, Vol. 7, nº 38, pp. 989 a 1000]

 

 

/p. 989/

N 38

Notticia historica, geografica, e politica da Villa de Borba.

Borba, Villa situada em os Estados da augustissima Casa de Braganca, na
Provincia do Alentejo, Comarca de Villa-Vicosa, Arcebispado d´Evora. Esta ao
septentriao em hum valle, junto de huma pequena serra, que lhe fica a Occidente
distante d´Evora oito legoas, e de Lixboa vinte, e seis. Tem assento em Cortes no XV
banco. Descobrem-se della a distancia de trez legoas para o nascente hũa pequena
aldeya de Sancto Antonio da Terruge e Villa – boim, Villa.
Seus primeiros fundadores lhe derao o nome de Barbo, em razao de haverem
achado dois desta especie em hum lago, aonde hoje esta o castello, os quaes tomarao
por armas da mesma Villa, mandando-os esculpir em alguns lugares, porem ao presente
so se vem retratados nos espaldares das cadeiras da camara. Pello decurso do tempo se
veio a corromper o nome = barbo = em = Borba =.
Os seus ares sao purissimoz, nao obstante o serem d´Inverno demasiadamente
frios, pella impressao, que lhe fazem os do Norte.

/p. 990/ Norte; o que nao deixa de contribuir para a fazer mais saudavel. Todas as suas cazas
tem quintaes com pocos de excellente agoa de que uzao os moradores para beberem e
regarem suas hortalicas.
He cabeca de conselho com juiz de fora, e camara. O seu termo he muito
celebre, e notavel pella memoravel Batalha de Montes Claros, tao famigerada nas
historias, nelle succedida em 17. de Junho de 1665: em que o Marquez de Marialva
derrotou inteiramente e venceu o exercito castelhano, commandado pello Marquez de
Carracena, em cujo lugar mandou levantar o Rey D. Afonso VI. hum soberbo padrao,
que nas suas quatro faces da a ler toda aquella historia.
He patria do grande heroe Diniz de Mello de Castro, primeiro Conde das
Galveas. Do insigne Estevao Mendes da Sylveira, comissario geral, que foi da
cavallaria, cujo valor, e accoens mereciao melhor atencao aos que escreverao as ultimas
guerras de Portugal. Dos padres Bento Pereira, e Bento de Macedo, bem conhecidos
pellos seus escriptos, e de outro Padre Bento com o cognome de Martir, por ser hum dos
do Japao.

/p. 991/ Japao, todos trez da Companhia de Jezus, em louvor dos quaes corre impresso hum
ellogio, de que, por ser extenso, se transcrevem so os dois primeiros, e dois ultimos
versos =
“Inclita tres celebres Benedictos, Borba, tulisti,
“sanguine conjumtos, religione pares.
“Ergo same e novum nomen, Benedicta vocari:
“Sic tribus his natis ser bene dicta manes.

Tem correio, que chega a Quinta feira de tarde, e parte ao Sabado de manham.
Divide-se em duas freguezias, a da Matris e a de Sam Bartholomeu, cujas
igrejas sao da Ordem d´Aviz: a da Matriz tem 400. vezinhos dentro da Villa, e 100.
dispersos pello campo. O numero das pessoas chega a 2000$(1). Tem a sua Igreja afastada
da Villa em lugar separado, sustentada em duas naves com dois altares collateraes por
banda: a saber, da parte do Evangelho o altar collateral do Patriarcha S. Bento, a capella
do Bom-Successo, a dasAlmas, e a do Anjo Custodio. Da parte

/p. 992/ da parte da Epistola o altar collateral da Cruz, a Capella do Rosario, a da Misericordia, por aqui ser antigamente fundada antes de ser transferida para o castello, e a de Sao Pedro. Foi
fundada esta Igreja por Dom Fernam Rodrigues de Sequeira XXII. Mestre da Ordem d
´Aviz em tempo do Rey Dom Joao I. Em 1458, como consta de huma pedra quadrada,
imbutida na parede do corpo della, da parte de dentro, ao lado direito, com a seguinte
inscripcao em letra gotica =
≫ Esta: Egreia: he: da: Ordem: daviz: e:
≫ mandoua: fazer: o: nobre: Senhor:
≫ Do: Ferna: Roiz: de: Sequeira: me :
≫ da: Cavalaria: da: dita: Ordem: e: foi:
≫ feita: ho: anno: da: Era: de: mil: IIIIc:
≫ e: L:VIII: Aviz: Aviz: Sequeira:
≫ Sequeira: =(2)
O seu patrono he Nossa Senhora do titulo das Neves, mas vulgarmente se diz de Nossa
Senhora do Sobral, por haver tradicao muito antiga, de que naquelle sitio, que
antigamente, e antes da sua ereccao, era povoado de arvores sylvestres, aparecera a
imagem da mesma Senhora, que agora se venera. Ha nella quatro irmandades, a do
Sacramento, a do Rosario, a da Cruz, e a das

/p. 993/ Almas. O seu prior he da Ordem d´Aviz, apresentado pella Meza da Consciencia, com 200.000(3) de renda. Tem tres
beneficiados da mesma Ordem com perto de 100.000(4).
O castello , obra do Rey D. Diniz, he hum quadrilongo, em cujos
angulos se levantao quatro cubos, e dois nas faces lateraes. Teve duas partes na sua
primeira fortificacao, huma, que olha para o Norte, e outra para o Nordeste, ambas
defendidas por dois cubos. Depois lhe abrirao terceira na face do Norte, e lhe
accrescentarao duas torres para a parte do poente; huma das quaes, por mais capaz,
serve de cadeya, e outra, mais pequena, tem o relogio da Villa. Sobre a principal porta,
que esta ao Norte, se ve huma cabeca de pedra de forma humana, a que o vulgo chama
Maria de Borba, tam gasta, que se lhe nao percebem as feicoens, e debaixo da mesma
esta hũa tosca lamina de pedra, cuja escriptura, pella mesma causa, se nao le. As
muralhas por partes com sua ruina em os alicerces, porque o tempo pella banda de fora
lhe vai gastando algumas pedras. Na parte superior se vem ja muito informes, principal-

/p. 994/ principalmente as torres, cujas cimalhas estao totalmente arruinadas; e estas
com o terremoto de 1755 se aballarao muito mais. Tem huma fonte o mesmo castello,
cujas copiosas agoas sao hum dos mananciaes, que formao a Ribeira de Borba. Tem
mais trez ruas, e nellas perto de 40 vezinhos,a caza, e Hospital da Misericordia, hũa das
mais ricas da Provincia com 6.000 cruzados de renda, capellao mor, quinze menores, e
hum thesoureiro. Tudo he admenistrado por hum provedor, e irmandade nella erecta.
Foi fundada pella Rainha Dona Leonor, mas as suas rendas forao-lhe dadas por pessoas
particulares. A sua primeira existencia foi na Igreja Matriz. Em 1663 foi tomado este
castello pellos castelhanos.

Ha as ermidas de Santo Antonio, e S. Sebastiao, dentro da Villa, e fora della as
de S. Miguel, S. Pedro, e S. Claudio, todas sugeitas a Igreja Matris.
Afastado da Villa menos de meio quarto de legoa, no sitio, que antigamente era
caza de campo dos serenissimos Duques de Braganca, esta o Convento de S. Francisco
da Provincia da Piedade, fundado pello Duque D. Jaime IV. no anno de 1505.

/p. 996/ 1505. Vulgarmente se chama o Convento do Bosque, por ser o da sua cerca tanto, ou
mais celebre, que o do Bussaco, e pella espessura de arvores de toda a qualidade, aonde
se encontrao algũas de tanta corpolencia, que igualao na grandesa as dos sertoens da
America. Grande numero de ruas de murtas, buxos, e louros, devotas ermidas,
deliciosas fontes, e outras recreacoes muito dignas de admiracao. Em hũa destas
ermidas, intitulada da Piedade, assistio seis anos de vida penitente aquelle principe, seu
primeiro fundador, acompanhando de seus religiosos e todos os votos: e sahindo de
Portugal occultamente com desejo de fazer profissao nas maos do Papa, o Rey D.
Manoel, por justas causas, lhe encontrou este sancto designio;
Entre os muitos religiosos de grande virtude, que este sancto retiro ha produzido,
e produz, se destingue o veneravel Fr. Francisco da Gata, religioso leygo, que floreceu
em os anos de 1505, cuja vida, e morte preciosa, cheya de milagres, se venera, e guarda
authenticada como o mais rico, e sagrado monumento deste claustro. Todo elle
experimentou grande estrago em o Terremoto fatal, principalmente a abobeda da igreja,
que cahio inteiramente. Nenhuma

/p. 996/ Nenhuma das povoacoens circunvesinhas
padeceu tanta ruina.

Abunda o terreno em azeite, legumes, e pouco trigo, por cauza dos muitos
arvoredos, e estreiteza delle. O seu principal, e mais importante fructo sao os generosos
vinhos, os mais deliciosos, e de melhor reputacao da Provincia, de que ordinariamente
recolhem os moradores mais de 110, e 120.000 almudes em todos os annos. He, porem,
tal a opiniao em que tem este seu genero, que sempre nesta Villa se vende mais caro, do
que nas outras, aonde o ha.

De todos os lados a cercao continuadas hortas, e pomares, cujos arvoredos,
principalmente em a Primavera, formao, a mais bella, e agradavel floresta. Produzem
todo o genero de fructas, e com especialidade jinjas, as melhores, e mais fromosas do
Reino. Estas particularidades fasem tao ameno o paiz, que nao tem inveja as celebradas
frescuras, e amenidades d´Entre- Douro(5) e-Minho.
Contem em si, e no ambito de seus arrebaldes infinitas

/p. 997/ infinitas fontes
de admiraveis agoas, que ham muitas dellas de per si moem asenhas em todo o anno.
Entre todas se distinguem, por singulares, a que chamao dos Finados, proxima a igreja
matriz, digna do melhor ornato, e estimacao; porque, conforme a observacao dos
medicos, alem de serem as suas agoas muito puras; e saborosas sao as mais salutiferas
do Continente.

De todas ellas se forma a pequena ribeira, chamada a Ribeira de Borba, que depois
de dar agoa a algumas asenhas, e fertilizar com suas correntes as mais das hortas, que
estao no Oriente, vai desembocar em distancia de duas legoas para a mesma parte em a
da Asseca.

A serra immediata a Villa que principia pouco distante de Estremos, e vai accabar
em a Villa do Alandroal, tera de comprimento do Norte ao Sul quasi duas legoas, e do
nascente ao poente, meia de largura

/p. 998/ largura: dos seus diversos nomes,
correspondentes aos seus bracos so tem notticia os naturaes; porque hum, que se estende
para o Sul se chama Serra da Vigaria, em cuja emminencia esta um padrao para
memoria, de que para aquelle lugar se retirou o Marques de Carracena, perdidas as
esperancas do vencimento da referida Batalha de Montes-Claros. E outro braco pouco
distante, que se continua tambem para o meyo dia se nomeya vulgarmente Serra do
Moiro.

Por partes he cultivada de vinhas, e olivaes, mas o mais predominante em toda a
sua extensao he matto e quantidade prodigiosa d´alechrim, de que se provem para
medicinas, e para as suas fogueiras de Sam Joao as povoacoes vesinhas.
Produz todo o genero de caca, principalmente, perdises. Toda ella he hum
thesouro de canteiras de finissimas pedras de extremada grandeza e de variedade de
cores; e he certo,

/p. 999/ certo, que sao as mais preciosas que se descobrem em todo o
Reino. Daqui sao conduzidas a custa de grande dispendio para Evora, para Lisboa, e
para outras muitas partes.

Feita em Borba aos 15. de Junho de 1758.

O Prior da Matriz Joao de Matos de Lucena Coutinho.
[assinatura autografa]

/p. 1000/ Freguesia da Matriz de Borba

(1) Sabendo que o cifrão tem valor de mil, é provável que o autor se tenha enganado, pois não
podem ser 2000.000. Para converter vizinhos em habitantes, o cálculo pode ser o seguinte 500
(vizinhos) x 4.5 = 2.250 (habitantes) ou 500x4= 2000. Por esta razão manteve-se o cifrão na
transcrição.
(2) Transcrição da inscrição em letra gótica: “Esta egreja he da Ordem d´Avíz e mandoua fazer o
nobre Senhor Dom Fernam Rodriguez de Sequeira Mestre da Cavalaria da dita Ordem e foi
feita ho anno da Era de mil IIIIcentos e LVIII. Aviz: Aviz: Sequeira: Sequeira”.
(3) Não indica a unidade de conto monetário.
(4) Não indica a unidade de conto monetário.
(5) Aqui o Autor não colocou o traço.

Transcricao: Ana Esmeralda Carvalho e Fernanda Olival


http://www.seo.mavi1.org http://www.mavi1.org http://www.siyamiozkan.com.tr http://www.mavideniz1.org http://www.mavideniz.gen.tr http://www.17search17.com http://www.siyamiozkan.com http://www.vergi.gen.tr http://www.prsorgu.org http://www.seoisko.net http://www.seoisko.org http://www.ukashhizmet.com http://www.ukashmavi.com http://www.sirabulucu.net http://www.kanuntr.com http://www.kanuntr.org http://www.kanuntr.net http://www.kananlartr.com http://www.kananlartr.org http://www.kananlartr.net http://www.haberbul.org http://www.iskoseo.com http://www.iskoseo.net http://www.iskoseo.org http://www.siyamiozkan.net